top of page

COVID-19 e a variante BQ.1: O que você precisa saber sobre ela?



Com os casos de COVID-19 aumentando novamente desde meados de outubro de 2022 é natural que as pessoas se sintam preocupadas com o surgimento de novas variantes da doença causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, ainda mais quando muitas pessoas já foram vacinadas.


Por isso, preparamos um artigo muito interessante sobre a nova variante em circulação, a BQ.1 que aborda o surgimento dessa variante, os seus sintomas e como se prevenir.


Como surgiu a variante BQ.1?


Desde quando a pandemia da COVID-19 foi declarada, novas variantes do SARS-CoV-2 surgiram e contribuíram para o aumento da transmissão da doença, entre elas a ômicron. E mesmo com as vacinas disponíveis e eficazes contra a doença, novas subvariantes estão aparecendo. Uma dessas subvariantes da ômicron é a BQ.1 (Cérberus) que já está presente em mais de 65 países, inclusive no Brasil.


A variante BQ.1 é descendente direto da BA.5 e apresenta mutações específicas na proteína spike (K444T e N460K). Mas uma mutação adicional (R346T) parece contribuir para o escape imunológico, ou seja, na capacidade de o vírus “driblar” o sistema imunológico e escapar da proteção gerada pelas vacinas.


Essa capacidade de escape é a principal preocupação relacionada à nova variante. No entanto, mais estudos científicos são necessários para confirmar seu o potencial de escape imunológico e compreender seu impacto na nossa saúde.


Quais são os sintomas da variante BQ.1?


Febre, dor de cabeça, tosse, dor de garganta, cansaço, perda de olfato e paladar são alguns dos principais sinais da doença. Esses sintomas não são muito diferentes daqueles apresentados por pessoas infectadas pela ômicron inicialmente descrita.


Como se prevenir?


A vacina contra a COVID-19 e as doses reforços desempenham um papel importante na prevenção dos casos graves da doença. Por isso, é fundamental seguir o seu cronograma de vacinação.

Seguir as recomendações do governo da sua cidade quanto ao distanciamento social e uso de máscaras também é importante. Evitar aglomerações, lavar bem as mãos ou utilizar álcool gel, e fazer o isolamento ao manifestar os sintomas ou após ter contato com alguém que os apresentou também são formas de se proteger.


Esses cuidados são essenciais para cuidar de você e da saúde de quem você mais ama. Eles também são fundamentais para conter a doença e fazer com o número de casos pare de crescer em todo mundo.


Nós, do Laboratório Biocenter, assumimos o compromisso de trazer informações relevantes e atuais para você. Estamos prontos para lhe atender e garantir os melhores resultados em exames laboratoriais.

Referências científicas:


Scarpa F, Sanna D, Benvenuto D, Borsetti A, Azzena I, Casu M, Fiori PL, Giovanetti M, Maruotti A, Ceccarelli G, Caruso A, Caccuri F, Cauda R, Cassone A, Pascarella S, Ciccozzi M. Genetic and Structural Data on the SARS-CoV-2 Omicron BQ.1 Variant Reveal Its Low Potential for Epidemiological Expansion. Int J Mol Sci. 2022 Dec 3;23(23):15264. doi: 10.3390/ijms232315264.


Qu P, Evans JP, Faraone JN, Zheng YM, Carlin C, Anghelina M, Stevens P, Fernandez S, Jones D, Lozanski G, Panchal A, Saif LJ, Oltz EM, Xu K, Gumina RJ, Liu SL. Enhanced neutralization resistance of SARS-CoV-2 Omicron subvariants BQ.1, BQ.1.1, BA.4.6, BF.7, and BA.2.75.2. Cell Host Microbe. 2022 Nov 22:S1931-3128(22)00568-6. doi: 10.1016/j.chom.2022.11.012.


World Health Organization. TAG-VE statement on Omicron sublineages BQ.1 and XBB. Disponível em: https://www.who.int/news/item/27-10-2022-tag-ve-statement-on-omicron-sublineages-bq.1-and-xbb. Acesso em: 20 dez. 2022.


74 visualizações
bottom of page