top of page

Teste Respiratório do Hidrogênio Expirado: qual a utilidade do teste?



Um tema que se tornou cada vez mais relevante nos últimos anos foi a percepção do aumento dos casos de intolerância à lactose na população. Essa percepção pode ser justificada pelo aumento na procura dos testes e maior precisão dos exames para diagnóstico da intolerância a lactose.

Nesse sentido, além dos testes mais comuns disponíveis, coleta de sangue para dosagem de lactose em jejum e exame genético, atualmente outro exame tem ganhado destaque por ser um método não invasivo de detecção da doença.

Esse exame é o Teste Respiratório de Hidrogênio Expirado e pode gerar dúvidas sobre seu funcionamento e qual sua real utilidade.

Como o exame funciona?


O processo de digestão e absorção dos carboidratos começa pela boca com a enzima amilase salivar e segue ao longo do trato gastrointestinal. No intestino delgado ocorre a devida absorção dos carboidratos que foram transformados em monossacarídeos por meio da digestão no duodeno.

Partindo desse pressuposto, no corpo humano a produção do hidrogênio (H2) e o metano (CH4) é realizada por meio da fermentação dos hidratos de carbono endógenos e exógenos pela microflora entérica. Essa produção pode ser medida na respiração após a ingestão de carboidratos.

Quando ocorre um aumento da concentração desses gases na respiração, pode-se inferir que o substrato ingerido não foi devidamente absorvido no intestino como citado anteriormente.

Isso, pode ser explicado, pois essa fermentação anaeróbica que gera hidrogênio e metano depende de bactérias sacarolíticas (micróbio que tem a capacidade de gerar energia metabolizando carboidratos) que estão na microflora entérica, assim os substratos não absorvidos são fermentados e aumentam os níveis dos gases citados.

O que ele pode diagnosticar?


Os testes respiratórios de hidrogênio são utilizados para fornecer informações sobre a digestão de determinados carboidratos que podem ser a lactose (açúcar do leite) ou a frutose (açúcar das frutas), diagnosticando assim, intolerância à lactose e a dificuldade na digestão da frutose. Além desses mais usuais o teste pode identificar intolerâncias a diversos carboidratos, como: xilitol, sorbitol e xilose.

O teste pode auxiliar no diagnóstico de disbiose - desequilíbrio desfavorável na composição da microbiota – através da análise do crescimento de bactérias no intestino que estão associados a sintomas como distensão abdominal, gases, cólicas abdominais e diarreias. Essa sintomatologia pertence ao Supercrescimento Bacteriano Intestinal (SIBO) que é uma das patologias da disbiose diagnosticada pelo nosso teste respiratório.

Como o exame é realizado?


Inicialmente é passado ao paciente uma dieta para realizar no dia anterior restringindo alguns tipos de alimentos especialmente a ingestão de lactose e frutose, além de um jejum de até 12 horas para o momento do exame.

O exame é realizado com a expiração do paciente em um equipamento de medição de hidrogênio em jejum e posteriormente, em intervalos seriados, após a ingestão de um carboidrato específico para a patologia investigada.

A solicitação do exame, interpretação e condutas são de responsabilidades médicas e recomendamos que busquem um profissional para análises individuais. Esse exame pode ser realizado em nosso laboratório com agendamento prévio.

 

Referências científicas:

 

Hammer HF, Fox MR, Keller J, Salvatore S, Basilisco G, Hammer J, Lopetuso L, Benninga M, Borrelli O, Dumitrascu D, Hauser B, Herszenyi L, Nakov R, Pohl D, Thapar N, Sonyi M; European H2-CH4-breath test group. European guideline on indications, performance, and clinical impact of hydrogen and methane breath tests in adult and pediatric patients: European Association for Gastroenterology, Endoscopy and Nutrition, European Society of Neurogastroenterology and Motility, and European Society for Paediatric Gastroenterology Hepatology and Nutrition consensus. United European Gastroenterol J. 2022 Feb;10(1):15-40. doi: 10.1002/ueg2.12133. Epub 2021 Aug 25. PMID: 34431620; PMCID: PMC8830282.

REIS, J. C. dos ., MORAIS, M. B. de ., & FAGUNDES-NETO, U.. (1999). Teste do H2 no ar expirado na avaliação de absorção de lactose e sobrecrescimento bacteriano no intestino delgado de escolares. Arquivos De Gastroenterologia, 36(4), 169–176. https://doi.org/10.1590/S0004-28031999000400003

27 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page