top of page

Síndrome de Cushing: O que é e como diagnosticar?


A síndrome de Cushing é uma condição que se caracteriza por níveis elevados de cortisol ou corticoides em nosso organismo e impacta vários aspectos da vida do indivíduo. Essa condição é três vezes mais frequente entre as mulheres e seus sintomas costuma aparecer entre os 30 e 60 anos, mas também pode afetar crianças.


Quais são as causas da Síndrome de Cushing?


Essa síndrome pode ser causada pelo uso de medicamentos corticoides em altas concentrações por um período prolongado, como o tratamento de doenças inflamatórias (artrite reumatoide, lúpus ou asma) ou como forma de prevenir a rejeição do órgão transplantado. Mas a Síndrome de Cushing também pode ser causada pela produção excessiva de cortisol ou hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) pelo próprio corpo.


São várias as situações que podem levar ao desenvolvimento (endógeno) dessa síndrome. Uma delas é o adenoma hipofisário. Esse tumor não cancerígeno (benigno) acomete a hipófise, que passa a produzir uma quantidade elevada de ACTH que estimula a produção de cortisol pela adrenal. A Doença de Cushing, como também é conhecido esse tumor, é mais comum em mulheres e a principal forma da Síndrome de Cushing endógena.


Raramente, tumores secretores de ACTH podem surgir em outros órgãos que normalmente não produzem o hormônio (pulmão, pâncreas, tireoide e timo), mas passam a secretá-lo em excesso.


Doenças primárias da adrenal também se caracterizam pela produção aumenta de cortisol. Uma dessas condições é o adenoma adrenal, um tumor não canceroso que se desenvolve no córtex dessa glândula e pode causar a Síndrome de Cushing,


Quais são os seus sintomas?


Pacientes com a Síndrome de Cushing geralmente apresentam a face grande e redonda (rosto de lua cheia) e excesso de gordura em todo tronco, especialmente na região superior das costas (giba de búfalo). Os braços e pernas geralmente são mais finos em relação ao tronco. Também há perda de massa muscular, o que pode causar fraqueza. A pele se torna delgada, hematomas estrias no abdômen e tórax são frequentes, e o indivíduo apresenta dificuldade na cicatrização de contusões e feridas.


Em longo prazo, os níveis elevados dos hormônios corticosteroides podem causar aumento da pressão arterial, osteoporose, cálculos renais, diabetes, transtornos mentais e comprometer a função imune do paciente.


Mulheres com essa condição podem apresentar ciclo menstrual irregular. Aquelas que possuem tumores adrenais podem apresentar aumento da produção de andrógenos (testosterona), o que pode levar ao aumento da quantidade de pelo no corpo das mulheres (hirsutismo), queda de cabelo ou o desenvolvimento de outras características sexuais masculinas (virilismo). Essa condição também pode afetar crianças, que crescem lentamente.


Como é feito o seu diagnóstico?


O diagnóstico envolve a avaliação dos níveis de cortisol na urina, saliva e ou sangue do paciente. Em geral, os níveis desse hormônio estão elevados pela manhã e diminuem ao longo do dia, mas em pacientes com Síndrome de Cushing, permanecem elevado ao longo do dia.


Caso isso aconteça, o médico pode recomendar o teste de supressão com dexametasona, que inibe a secreção da corticotrofina hipofisária. O medicamento deve ser ingerido a noite ou ao logo de vários dias e depois avalia-se o cortisol matinal. É esperado que ocorra uma diminuição dos níveis de cortisol caso a Síndrome de Cushing seja causada por um adenoma hipofisário. Os níveis elevados de ACTH podem indicar que a glândula adrenal esteja sendo excessivamente estimulada pela hipófise.


Caso os níveis de cortisol continuem elevados nesse teste, é necessário investigar outras causas da Síndrome de Cushing. Um tumor adrenal, pode levar ao excesso de cortisol mesmo se os níveis de corticotrofinas estejam reduzidos e a dexametasona seja capaz de diminuir os níveis do cortisol. Tumores secretores de ACTH também estimulam a secreção desse hormônio pela adrenal, mas esse estímulo não é inibido pela dexametasona.


Nesses casos, exames de diagnóstico por imagem, como a tomografia computadorizada e a ressonância magnética podem ser utilizados para identificar o tumor.


Como tratar a Síndrome de Cushing?


O tratamento envolve uma dieta rica em proteínas e potássio, o uso de medicamentos poupadores de potássio e inibidores da adrenal. Cirurgia ou radioterapia também podem ser utilizados para a remoção dos tumores.


Vale ressaltar que os exames só devem ser realizados após orientação e prescrição médica. Esse profissional que também irá orientar o paciente quanto ao melhor tratamento de acordo com o diagnóstico.


Nós, do Laboratório Biocenter, assumimos o compromisso de trazer informações relevantes e atuais para você. Estamos prontos para lhe atender e garantir os melhores resultados em exames laboratoriais.

Referências científicas:


Mayo Clinic. Cushing syndrome. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/cushing-syndrome/symptoms-causes/syc-20351310. Acesso em: 24 jan. 2023.


Nishioka H, Yamada S. Cushing's Disease. J Clin Med. 2019 Nov 12;8(11):1951. doi: 10.3390/jcm8111951.


Takayasu S, Kageyama K, Daimon M. Advances in Molecular Pathophysiology and Targeted Therapy for Cushing's Disease. Cancers (Basel). 2023 Jan 13;15(2):496. doi: 10.3390/cancers15020496.


1.906 visualizações
bottom of page