top of page

Alergia alimentar e intolerância: qual a diferença?


Com o aumento nos casos de intolerâncias alimentares surgiram dúvidas sobre alguns termos que parecem significar a mesma coisa, porém tem uma aplicação clínica distinta. Assim, a intolerância alimentar e a alergia alimentar serão discutidas em nossa publicação hoje e suas diferenças serão esclarecidas.


Intolerância alimentar:


A intolerância alimentar faz parte das reações alimentares adversas não alérgicas e está relacionada à dificuldade de digerir ou metabolizar algum alimento.

Essa reação alimentar pode ser causada por diversos fatores, como infecções gastrointestinais, problemas nas enzimas digestivas, alguma alteração anatômica, doenças metabólicas e até doença do refluxo gastroesofágico. A intolerância não envolve o sistema imune do paciente e dessa forma o alimento ingerido pelo paciente pode gerar reações semelhantes em diversos momentos de contato.


Manifestação clínica da intolerância alimentar:


A característica clínica das intolerâncias depende da disfunção atribuída e por isso o espectro de manifestações são grandes. Apesar disso, em alguns casos é comum observarmos: inchaço abdominal, rubor, flatulências, cólicas, cefaleia e diarreia. A intensidade desses e outros sintomas na intolerância está diretamente relacionada a quantidade de alimento ingerido e a sua duração pode variar desde uma aparição rápida de alguns minutos até horas de sintomas. 

Um excelente exemplo de intolerância alimentar é a intolerância a lactose causada por uma deficiência na enzima lactase que não permite a devida digestão da lactose e pode apresentar muitos dos sintomas acima citados.  


Alergia alimentar:


A alergia alimentar segue o caminho contrário da intolerância, ela é uma reação adversa também, porém a sua resposta é uma resposta imunológica após a exposição a um alimento. Assim como a intolerância a alergia tem diversas apresentações clínicas por existirem vários tipos de alergias e cada uma delas podem ter uma apresentação clínica e etiologia diferente.

De uma forma mais geral, existem alergia alimentares mediadas pela imunoglobulina E, e outras não mediadas como a esofagite eosinofílica e a enterocolite causada por proteína alimentar. Nesse texto para auxiliar nas comparações, traremos uma atenção maior às alergias mediadas por IgE que são geralmente as alergias mais conhecidas.


Manifestação clínica da alergia alimentar:


Dentre os diversos sintomas alguns são mais comuns, como: urticária, inchaço, coceira, tontura, síncope, diarreia, vômitos e dor abdominal, sendo que a alergia pode evoluir para manifestações mais intensas e acometer vários órgãos ao mesmo tempo como por exemplo no caso da anafilaxia que é uma reação grave e potencialmente fatal.


Essas sintomatologias são de uma forma geral apresentadas mais rápidas logo após a ingestão do alimento e por conta disso essas reações são chamadas de “imediatas”.  Diante de quadros clínicos extensos podem surgir dúvidas sobre a gravidade das reações e qual alimento pode desencadear cada sintoma, porém as reações são imprevisíveis e variadas de tal forma que um indivíduo pode ter uma reação como inchaço em um momento com um alimento e em outro momento com o mesmo alimento esse indivíduo pode ter uma reação anafilática.


Embora seja difícil o estabelecimento de um padrão para as reações, é possível determinar alguns fatores que podem aumentar a sua gravidade, como: asma, ingestão de determinados medicamentos que podem alterar a resposta do organismo, estresse, falta de sono e infecções concomitantes.


Tanto para a intolerância quanto para as alergias alimentares é de extrema importância a avaliação médica para a distinção, diagnóstico e tratamento desses casos. O laboratório Biocenter oferece atualmente os testes mais modernos e específicos para diagnóstico de intolerância alimentar e alergia alimentar.



Referências científicas:

Bruijnzeel-Koomen C, Ortolani C, Aas K, Bindslev-Jensen C, Björkstén B, Moneret-Vautrin D, Wüthrich B. Adverse reactions to food. European Academy of Allergology and Clinical Immunology Subcommittee. Allergy. 1995 Aug;50(8):623-35. doi: 10.1111/j.1398-9995.1995.tb02579.x. PMID: 7503398.

Schaude C, Meindl C, Fröhlich E, Attard J, Mohr GJ. Developing a sensor layer for the optical detection of amines during food spoilage. Talanta. 2017 Aug 1;170:481-487. doi: 10.1016/j.talanta.2017.04.029. Epub 2017 Apr 12. PMID: 28501199.

Burks AW, Tang M, Sicherer S, Muraro A, Eigenmann PA, Ebisawa M, Fiocchi A, Chiang W, Beyer K, Wood R, Hourihane J, Jones SM, Lack G, Sampson HA. ICON: food allergy. J Allergy Clin Immunol. 2012 Apr;129(4):906-20. doi: 10.1016/j.jaci.2012.02.001. Epub 2012 Feb 23. PMID: 22365653.

15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page