Câncer de próstata: Saiba mais sobre as causas, sintomas e diagnóstico.



Novembro Azul é o mês marcado pela campanha de combate e prevenção do câncer de próstata. Esse tipo de câncer é o mais comum entre homens, atingindo cerca de 30% da população masculina no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o que reforça a importância de conscientizar a população a respeito dessa doença.

A próstata é uma glândula presente no sistema genital masculino, localizada na frente do reto e embaixo da bexiga urinária. Seu tamanho pode variar conforme a idade, comparável ao tamanho de uma noz em pessoas mais jovens. Sua função é produzir um líquido que compõem o sêmen, chamado secreção prostática. A secreção prostática contém sais minerais e enzimas importantes que protegem e nutrem os espermatozoides no sêmen. Além disso, devido ao seu pH alcalino, a secreção prostática ajuda a neutralizar a acidez da vagina, prolongando o tempo de vida dos espermatozoides.

Mas, afinal, o que é o câncer de próstata?

A maioria das células que compõem nosso corpo possui uma característica muito especial: a capacidade de se multiplicar de forma controlada, substituindo outras que já estão no fim de sua vida, fenômeno esse chamado ciclo celular. No entanto, falhas podem ocorrer nesse processo, resultando em um descontrole deste ciclo e uma multiplicação e crescimento desordenado destas células. Todo e qualquer câncer é caracterizado por esse tipo de erro, podendo ser restrito a um órgão/tecido ou se espalhar para outros lugares do corpo.

No câncer de próstata não é diferente. Neste tipo de câncer, as células da próstata são afetadas, causando o crescimento exagerado da glândula, perda de função da mesma, além de, potencialmente, poder se espalhar para outros órgãos.

Quais as causas para esse tipo de câncer?

A ciência ainda investiga as causas dessa doença e o que se sabe é que o câncer de próstata é considerado uma doença multifatorial, ou seja, mais de um fator pode influenciar no seu desenvolvimento. Dentre estes fatores, a idade e a genética parecem ser os mais fortes. Dados indicam que a prevalência da doença é maior em homens com idade mais avançada (acima de 50 anos). Já em homens com idade inferior a 40 anos, o desenvolvimento do câncer de próstata é mais raro.

Como na maioria dos cânceres, o de próstata também tem uma forte influência genética. Isso quer dizer que determinadas mutações em genes específicos podem influenciar para o desenvolvimento da doença. Como já discutido em nossas outras matérias sobre testes genéticos (se ainda não conferiu, não perca tempo!), o grande problema é que essas mutações podem ser passadas para outras gerações em sua família, tornado o câncer de próstata também de origem hereditária. É por isso que a presença de histórico familiar da patologia pode ser um sinal de alerta, principalmente se houver um parentesco próximo (pai, filho ou irmão, por exemplo).

Além disso, existem outros fatores que também podem influenciar o aparecimento de câncer de próstata, como a obesidade, o tabagismo e o sedentarismo. A presença de doenças preexistentes também podem aumentar as chances. Alguns estudos sugerem que a prostatite (inflamação da próstata) pode estar associada a um risco aumentado de câncer. No entanto, mais estudos são necessários para entender melhor como esses outros fatores poderiam influenciar positivamente o câncer de próstata.

O câncer de próstata possui sintomas específicos?

Na verdade, esse tipo de câncer apresentar características silenciosas durante suas fases iniciais, ou seja, sem apresentar sintomas. Esse é um grande problema do ponto de vista clínico, pois muitas vezes o diagnóstico é tardio, o que pode agravar o quadro e complicar o tratamento. Além disso, quando há sintomas, estes são inespecíficos e podem ser confundidos com outras doenças, como prostatites ou infecções urinárias. Em geral, os sintomas mais comuns são: dificuldade ao urinar, sangue na urina, necessidade de urinar várias vezes ao dia ou diminuição no jato de urina.

A prevenção é essencial!

Manter seus exames de rotina atualizados é a melhor maneira de prevenir e diagnosticar de forma precoce o câncer de próstata. Basicamente, dois exames são importantíssimos para realizar esse monitoramento: o toque retal e o exame de PSA.

O toque retal é um exame no qual o médico analisa com o auxílio dos dedos, o tamanho, a forma e a espessura da próstata. Assim, é possível identificar possíveis alterações que possam ser indicativas de câncer.

Já o exame de PSA analisa no sangue a quantidade de uma proteína produzida pela próstata, o Antígeno Prostático Específico. Essa é uma proteína que está relacionada com o câncer, onde níveis altos da mesma pode ser indício da patologia. Vale ressaltar que estes dois exames são apenas testes de triagem e devem ser avaliados por um especialista. Caso existam alterações significativas, o médico pode solicitar exames complementares, como a biópsia, onde são retirados pequenos pedaços da próstata para posterior análise.

Ao realizar o exame de PSA, esteja atento a algumas dicas!

Este é um exame sensível e que facilmente podem aparecer alterações nas dosagens de PSA, o que não indica necessariamente um câncer.

Por isso, alguns cuidados devem ser tomados ao realizar este exame. Evite ter relações sexuais por pelo menos 48 horas antes do teste. Isso porque a ejaculação do sêmen pode estimular a liberação de PSA pela próstata, o que aumenta sua concentração sanguínea temporariamente e prejudica o resultado do exame.

Exercícios vigorosos também podem alterar os níveis de PSA. Andar de bicicleta, por exemplo, é desaconselhado, pois, o selim pode exercer uma pressão excessiva sobre o períneo. Essa é a região onde está localizada a próstata e esse tipo de estímulo também pode alterar os níveis de PSA.

Respeitando estas regras, você garante um exame com resultados fidedignos. No Laboratório Biocenter você pode fazer este teste com segurança e confiança, pois dispomos de uma equipe treinada e capacitada para realizar seus exames com extrema qualidade e precisão.

Lembrete: Somente realize exames e testes após avaliação e indicação médica.


Nós, do Laboratório Biocenter, assumimos o compromisso de deixá-los sempre bem informados e atualizados, trazendo conteúdos relevantes e de qualidade para você.

Referências:

Chesnut, G.T., Tin, A.L., Fleshner, K.A. et al. (2021). Estimating patient health in prostate cancer treatment counseling. Prostate Cancer Prostatic Dis. doi: 10.1038/s41391-021-00467-5

Ilic, D., Djulbegovic, M., Jung, J. H., Hwang, E. C., Zhou, Q., Cleves, A., ... & Dahm, P. (2018). Prostate cancer screening with prostate-specific antigen (PSA) test: a systematic review and meta-analysis. Bmj. doi: 10.1136/bmj.k3519

Sandhu, S., Moore, C. M., Chiong, E., Beltran, H., Bristow, R. G., & Williams, S. G. (2021). Prostate cancer. The Lancet. doi: 10.1016/s0140-6736(21)00950-8

Kang D, Fairey AS, Boulé NG, Field CJ, Wharton SA, Courneya KS. (2021). Effects of Exercise on Cardiorespiratory Fitness and Biochemical Progression in Men With Localized Prostate Cancer Under Active Surveillance: The ERASE Randomized Clinical Trial. JAMA Oncol. . doi:10.1001/jamaoncol.2021.3067


1 visualização